Filosofia Americana

Para nós, a Filosofia Americana tem como conteúdo as correntes filosóficas desenvolvidas nos Estados Unidos, ou melhor, na “América”, como diziam os antigos imigrantes e, de certo modo, como ainda muitos falam. Mas, por que “América”?

John Dewey fazia uma diferença histórico-filosófica entre “América” e Estados Unidos. Ele entendia os Estados Unidos como um complexo industrial militar profundamente capitalista, enquanto que a “América”, cuja região geográfica coincidia com os Estados Unidos, era exclusivamente o lugar de realização do “sonho de liberdade” dos “Pais Fundadores” e dos imigrantes. Dewey sempre apostou que esses dois reinos poderiam conviver, mesmo que em alguns momentos fizessem guerra um contra o outro.

As filosofias americanas são da “América” nesse específico sentido. Elas sãos filosofia que,

1851 The County Election by George Caleb Bingham - the St. Louis Art Museum.

1851 The County Election by George Caleb Bingham – the St. Louis Art Museum.

de alguma maneira, mantém esse articulação com o “sonho de liberdade”. O pragmatismo é a sua expressão principal. Todavia, pela própria característica da vida democrática americana, o modo como o pragmatismo foi levado adiante serviu de um centro para conversas sobre os mais variados temas, articulando em encontros vários filósofos e pensadores, inclusive alguns até bem distantes do pragmatismo ou de questões inicialmente forjadas segundo critérios americanos. Aliás, a filosofia em geral, no mundo todo, reconhece esse papel catalizador das obras de James, Dewey, Mead, Veblen, Quine, Davidson, Putnam, Nozick, Rawls, Danto, Dennett, Rorty e outros.

Nosso trabalho com a Filosofia Americana é, portanto, não um afazer que exclui outras correntes. Ao contrário, nos engajando com os temas levantados pelos velhos e novos pragmatistas, não pudemos nunca deixar de lado o estudo dos velhos grandes filósofos de vários matizes e lugares, e manter a conversação também com novos filósofos.

A Filosofia Americana nesse sentido surge como a fusão de história da filosofia e investigação filosófica. É também a pesquisa em torno de temas dos pragmatistas e temas que tangenciaram os pragmatistas e seus amigos. Nesse sentido, o título “Filosofia Americana” se tornou antes um espírito inspirador que o leito estreito de um rio, no qual somente alguns barcos poderiam navegar.

Paulo Ghiraldelli Jr.

09/09/2014, São Paulo

Esta entrada foi publicada em Filosofia. ligação permanente.